quinta-feira, 17 de março de 2011

Só Os Loucos Sabem

É tênue a linha que separa a felicidade da loucura, afinal a arte de ser feliz nos conduz ao limiar da sanidade. Como já escrevi diversas vezes aqui mesmo neste Blog precisamos estar dispostos a correr riscos. Precisamos deixar de lado a sanidade e a racionalidade das lógicas matemáticas para construir nossas próprias fórmulas.

Sei que não é fácil ser feliz, se fosse fácil sequer existiriam dor e tristeza. Mas porque fazemos da felicidade um objetivo tão complexo? Antes de continuar este texto quero que você responda uma pergunta para você mesmo: o que é felicidade?

Na literatura existem dois tipos de felicidade ou bem estar: a felicidade hedônica e a felicidade eudaimônica.

O termo hedônico, de origem grega, significa a satisfação de um prazer. Podemos definir a felicidade hedônica como o bem estar imediato e transitório que atingimos depois de conquistarmos um objetivo ou de revertermos um desprazer. Ela é a alegria momentânea ou o prazer temporário que pode ser alcançado inclusive por pessoas que estejam vivendo com diagnóstico clínico de depressão.

Não é necessário ser "louco" para ter este tipo de felicidade. São exemplos de bem estar hedônico a satisfação com uma boa refeição, o prazer sexual, uma vitória do seu time de coração e até mesmo a sensação gostosa depois de um simples elogio.

O termo eudaimônico, também de origem grega, pode ser definido como a "vida que vale a pena ser vivida". A felicidade eudaimônica é um bem estar constante, uma forma de encarar o mundo e seus fatos bons ou ruins carregada de otimismo e positivismo. A felicidade eudaimômica é o antônimo de depressão e diversos estudos comprovam seu poder de melhoria nos sistemas imunológico, neuroendócrino e cardiovascular aumentando a capacidade de cura na ocorrência de doenças.

São exemplos de felicidade eudaimônica o sentimento de paz interior, o sorriso constante, a vontade de viver, a sensação de estar em sintonia com o mundo e com as outras pessoas. Resumindo a história a diferença do bem estar hedônico para o eudaimônico é a mesma diferença que existe entre estar feliz e ser feliz de fato.

Normalmente as pessoas felizes são chamadas de loucas por acreditar e assumir grandes riscos, por conseguir encarar com positivismo até mesmo as maiores perdas e por brincar como crianças independente de suas idades. Talvez seja realmente loucura levantar sorrindo depois de um tombo, ou contar piadas deitado no leito de um hospital. Mas se este tipo de atitude for de fato loucura faço questão de ser chamado de louco até o fim dos meus dias, porque no fundo só os loucos sabem o que é felicidade.

Trechos de músicas de loucos famosos
"Eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão mas pra quem tem pensamento forte o impossível é só questão de opinião. E disso os loucos sabem, só os loucos sabem." Só Os Loucos Sabem - Charlie Brown Jr

"Dizem que sou louco por pensar assim. Se eu sou muito louco por eu ser feliz... Mais louco é quem me diz e não é feliz. Eu sou feliz." Balada do Louco - Os Mutantes

"Enquanto você se esforça pra ser um sujeito normal e fazer tudo igual, eu do meu lado aprendendo a ser louco, um maluco total na loucura real. Controlando a minha maluquez misturada com minha lucidez." Maluco Beleza - Raul Seixas

"Hoje eu tô jogando tudo fora tudo que não presta mais. Todo o lixo que juntei nos meus becos e quintais. Tô falando de loucura, tô falando de viver. Aura clara, sorte escura, descobrir o que se é e ser." Gentil Loucura - Skank

"Tudo acontece de repente entre a loucura e a razão. Ah, essa vida mata a gente de tédio e paixão. Tudo não passa de um momento, Um pensamento, uma visão... Prego um sorriso nos lábios, pinto alegria nos olhos, planto ironia no coração." Entre a Loucura e a Razão - Toquinho

0 comentários:

Postar um comentário